Diário da Brigada de Formação sobre os efeitos destrutivos da Indústria da Cana em Pernambuco

sexta-feira 20 de abril de 2007 por LRAN

17 de abril de 2007

A Brigada de Formação, formada por cerca de 50 acampados e assentados da reforma agrária
tem início na cidade de Araçoiaba, a 65 km de Recife. Toda a região é tomada pela
monocultura da cana. Três grandes usinas, Petribu, São José e Santa Tereza, dominam a
economia, as terras, e exercem grande poder local.

O resultado é o alto nível de desemprego, pois praticamente não há outras alternativas
econômicas a não ser o degradante trabalho no corte da cana durante o período da safra,
que dura de quatro a seis meses por ano. Além de diversas violações de direitos
trabalhistas, estas usinas são acusadas de despejos, ameaças e até assassinatos de
trabalhadores que lutam pela reforma agrária.

Logo na chegada, uma casa de farinha abandonada simboliza o drama dos pequenos
agricultores, que perderam suas terras e seu sustento em conseqüência do domínio do
latifúndio e da monocultura da cana. A pobreza local é gritante. Crianças sem roupas e
sapatos, visivelmente desnutridas, correm pelas ruas. A infraestrutura da cidade é
precária: não há esgoto, asfalto, saneamento básico ou água encanada. Este é o padrão de
“desenvolvimento” gerado pelas usinas.

Os intermediários ou aliciadores de mão-de-obra escrava circulam impunes pela cidade. Um
carro de som anuncia uma “ótima oportunidade” de emprego em Tocantins, onde os
trabalhadores desempregados de Araçoiaba teriam direito à “três refeições por dia” e
pagariam “apenas” R$70,00 pelo transporte para uma usina naquele estado. Ao serem
procurados pela CPT, os agenciadores negaram-se a informar o salário proposto, o nome e
local da usina para onde seriam levados os trabalhadores, a data e local de onde sairá o
ônibus que irá transportá-los. Fica um alerta para a Delegacia Regional do trabalho e o
Ministério Público do Trabalho, que deveriam investigar esta situação.

Mas a luta pela terra continua sendo a única saída para uma vida digna. Essa é a
principal mensagem que homens, mulheres e crianças integrantes da Brigada de Formação
vieram transmitir para a população de Araçoiaba.

À noite, foi exibido o vídeo “Bagaço”, produzido pela Comissão Pastoral da Terra e pela
Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, na praça principal da cidade, seguido de um
debate dos assentados e acampados da reforma agrária com a população local.

Mais Informações:

Comissão Pastoral da Terra – CPT PE

Marluce Melo ou Plácido Júnior (81) 32314445


Página inicial | Contato | Mapa do site | | icone statistiques visites | info visites 953911

Acompanhar a vida do site pt_br  Acompanhar a vida do site AÇÃO TERRA  Acompanhar a vida do site Noticias   ?

Site realizado com SPIP 3.0.20 + AHUNTSIC

Creative Commons License