Agroenergia: Mitos e Impactos na América Latina

quarta-feira 22 de agosto de 2007 por LRAN

Publicação Comissão Pastoral da Terra, Grito dos Excluídos Continental, Rede Social
de Justiça e Direitos Humanos, SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes.

PDF - 1.1 MB
Version para impresao
PDF 1.1MB

Recentes estudos sobre os impactos causados pelos combustíveis
fósseis contribuíram para colocar o tema dos agrocombustíveis na ordem
do dia. Atualmente, a matriz energética mundial é composta por petróleo
(35%), carvão (23%) e gás natural (21%). Apenas dez dos países mais ricos
consomem cerca de 80% da energia produzida no mundo. Entre estes, os
Estados Unidos são responsáveis por 25% da poluição atmosférica.

O Brasil é o quarto país do mundo que mais emite gás carbônico na
atmosfera. Isso ocorre principalmente em conseqüência da destruição da
floresta amazônica, que representa 80% das emissões de carbono no país.
A expansão de monocultivos para a produção de agroenergia tende a
aprofundar este problema, colocando uma pressão cada vez maior na
fronteira agrícola da Amazônia e do Cerrado brasileiro. O Brasil é
praticamente auto-suficiente em produção de energia. Portanto, a
expansão da produção de agrocombustíveis tem como objetivo central
atender a demanda de outros países, o que deve acelerar o aquecimento
global em vez de contribuir com a preservação do planeta.

A aceleração do aquecimento global é um fato que coloca em risco a
vida do planeta. Porém, é preciso desmistificar a principal solução apontada
atualmente, difundida através da propaganda sobre os supostos benefícios
dos agrocombustíveis. O conceito de energia “renovável” deve ser discutido
a partir de uma visão mais ampla que considere os efeitos negativos destas
fontes.

Aproveitando-se da legítima preocupação da opinião pública
internacional com o aquecimento global, grandes empresas agrícolas, de
biotecnologia, petroleiras e automotivas percebem que os
agrocombustíveis representam uma fonte importante de lucro.


Textos:
Brasil: Maria Luisa Mendonça, Marluce Melo e Plácido Júnior
Costa Rica, Nicarágua e Honduras: Gerardo Cerdas Vega
Guatemala: Julian Xacult, Laura Saldivar Tanaka e Hannah Wittma
República Dominicana: Petronila Urena
Colômbia: Héctor Mondragón
Bolívia: Gerardo Burgos Lino

Ilustrações
Gilberto Maringoni


Página inicial | Contato | Mapa do site | | icone statistiques visites | info visites 953911

Acompanhar a vida do site pt_br  Acompanhar a vida do site AÇÃO TERRA  Acompanhar a vida do site Biotecnologia   ?

Site realizado com SPIP 3.0.20 + AHUNTSIC

Creative Commons License